MONDA CONQUISTOU O CAPITÓLIO

Monda (Capitólio) Foto: Rui Pereira

MONDA APRESENTOU O SEU SEGUNDO DISCO E LISBOA RENDEU-SE

Editaram o seu primeiro trabalho discográfico em Junho de 2016, estrearam a sua música, em casa, em vários pontos do Alentejo, aventuraram-se no resto do país e levaram as suas raízes logo no primeiro ano ao Teatro Tivoli em Lisboa, a 15 de Novembro desse ano. Depois das críticas, bem positivas aliás, acerca do seu primeiro disco, homónimo, os Monda construiram a sua sonoridade assente numa identidade muito própria, que aliás, hoje serve de mote para outras formações surgirem no panorama tradicional em “plateau” semelhantes, nomeadamente com instrumentos que outrora não fariam parte das lides do cante. Nomeados no ano de estreia para a categoria Mais Música, nos prémios anuais promovidos pela Revista Mais Alentejo, estes músicos provaram que não têm fronteiras nem barreiras que não possam ser transpostas, quer pela sua sonoridade única, quer pela sua simplicidade. Sem medo da evolução, própria dos seus tempos dizem, respeitando a mesma, apostam naquilo que dizem ser uma tradição contemporânea, sem categorias ou gavetas pré definidas. O mundo é o seu palco, e consideram fundamental levar a sua música além-fronteiras, com os instrumentos que apoiam esta nova sonoridade portuguesa.Por tudo isto, Lisboa os recebeu novamente de braços abertos no passado 31 de Maio, no Teatro Capitólio, num concerto único que teve como principal propósito a apresentação do seu mais recente disco, CAL.

Editado em Abril deste ano, CAL encontra-se já em nas principais plataformas digitais de streaming, contando com várias participações de referência nacional e internacional.

Nomes como Maro e Maria Emília, destacam- se num disco que é do início ao fim uma contemplação. A contemplação de uma casa renovada, caiada de branco, fino de pureza, onde encontramos as sonoridades que se misturam com as nossas emoções num novo tempo, num espaço que se descobre à nossa frente, passo a passo, sem muros ou barreiras. O single Moreninha é prova disso. Torna-se o primeiro original do colectivo, com uma interpretações suberbas de Jorge Roque e Maro.

Há em cada música do alinhamento no seu espectáculo, um contraste com a urbanização dos sons, das influências que fazem do colectivo MONDA, uma descoberta a cada nova moda que nos sussurram ao ouvido. O novo disco, CAL, leva-nos para viagens tão inquietantes e profundas quanto serenas, tornando-se desde o primeiro instante, um porto de rendição.

Foi o que aconteceu no passado dia 31 de Maio no Capitólio. A vibração contagiante do som dos MONDA invadiu por completo a plateia arrebatada por tamanha gratificação. No final as palmas aconteceram naturalmente e o “encore” era mais que esperado.

Jorge Roque, Pedro Zagalo e Der Medinas, continuam a dar forma a uma das expressões artísticas que mais marcam a actualidade musical no Alentejo e no país.

MONDA no Teatro Capitólio em Lisboa

 

Os Monda preparam o seu concerto de lançamento do seu novo disco CAL, para o próximo dia 31 de Maio em Lisboa. Alguns convidados do disco estarão presentes e haverá mais algumas surpresas reservadaspara um espectáculo sempre marcado pela intimidade, proximidade e emoção com o público.

Os bilhetes estão à venda em https://www.blueticket.pt/Event/4358/MONDA.

 

Novo disco CAL, disponível a 12 de Abril

O novo disco dos MONDA, intitulado CAL, estará disponível em todas as lojas FNAC e plataformas digitais de streaming o próximo dia 12 de Abril.  Este é o segundo álbum do colectivo MONDA, o qual conta com participações muito diversas e muito especiais, casos de MARO, MARIA EMÍLIA, LAYTH SYDIQ, JOSÉ MANUEL NETO, JOÃO GIL, DAVID PIÇARRA, entre outros.

Fazendo a ponte com o primeiro trabalho discográfico, e ao mesmo tempo encaminhando-nos para uma nova viagem de sons, é na contemplação de uma casa renovada, caiada de branco, fino de pureza, que encontramos este disco, nas sonoridades que se misturam com as nossas emoções num novo tempo, num espaço que se descobre à nossa frente, passo a passo, sem muros ou barreiras.

Entre memórias distantes, três infâncias criadas nas múltiplas raízes tradicionais, ricas de imaginação e de afectos. Em contraste a urbanização dos sons, das influências que fazem do colectivo MONDA, uma descoberta a cada nova moda que nos sussurram ao ouvido. Deixe-se levar para viagens tão inquietantes e profundas quanto serenas. Este disco é um porto de rendição.

MORENINHA

#moreninha     #monda     #maro   #worldmusic

MORENINHA é o novo single, com música original dos MONDA e com a especial participação da artista MARO, que nos abre as portas para um imaginário pleno de silêncios, entre as breves notas que sustentam toda a respiração que nos faz viver, para ouvir tamanha construção.

Confira já na lista de reprodução disponível no site ou nos nossos canais nas redes sociais.

Maro canta tema no novo disco dos Monda

MARO, nome que dá corpo ao universo musical de Mariana Secca, convidada a participar do novo trabalho dos Monda, previsto para este ano de 2019, confessou a simpatia e admiração pelo trabalho dos Monda,  projectado hoje em novas construções harmónicas e em novas contemplações musicais e estéticas.

O tema co-interpretado por Maro ainda não foi revelado, mas é dos temas originais compostos pelo próprio colectivo a entrar no reportório escolhido para este disco. Para além de Maro, o novo álbum dos Monda contará com outras participações não menos especiais, casos de: Layth Sidiq, violinista norte americano, David Piçarra ou João Gil que aceitou o desafio de compor um tema para este novo trabalho dos Monda, tema esse que contou com um precioso poema de Paulo Abreu de Lima.

Monda Pensam Novo Disco

Novo Disco

Depois de um primeiro disco homónimo, Monda prepara novo disco. Sem data prevista para lançamento, a edição de um novo trabalho discográfico por parte deste trio, está a ser programada e faz-se para já com muita calma e envolta em algum secretismo. Tal como o primeiro álbum,  este será um disco onde a recolha e a fusão das sonoridades tradicionais se cruzam com novas tendências e novas culturas musicais, facto que aliás distingue o som dos Monda, que cantam as raízes do Alentejo para o Mundo. De salientar que o primeiro trabalho de Monda foi muito bem acolhido perante crítica e público em geral, criando uma forte empatia com todos os que ouvem e se revêm na sua música, abrindo desse modo uma nova janela, por onde espreitam claramente, todas as confluências da worldmusic.

Monda e João Gil, juntos em palco

Monda e João Gil, juntos no palco da Vidigueira Vinho

O consagrado músico e compositor, João Gil estará no palco juntamente com Monda para um concerto emocionante onde os temas das raízes alentejanas, gravados no álbum dos Monda, se misturam com as emblemáticas canções criadas por João Gil em projectos como, Rio Grande, Ala dos Namorados ou Trovante.

O espectáculo terá lugar no próximo dia 31 de Março, pelas 22h30, no palco principal do evento Vidigueira Vinho.

 

XII Feira do Porco Alentejano

#MONDA #OURIQUE #CANTEALENTEJANO

Os MONDA são o colectivo que vão assegurar o encerramento da XII Feira do Porco Alentejano, que vai decorrer em Ourique nos dias 23, 24 e 25 de Março 2018.

No dia 25 de Março, no encerramento da XII Feira do Porco Alentejano, os MONDA vão trazer a palco, muito mais do que a celebração do cante Alentejano, uma festa genuína, luminosa e emocionante que canta fundo as raízes de um país inteiro.

A XII Feira do Porco Alentejano, uma organização conjunta do Município de Ourique e da Associação de Criadores de Porco Alentejano, será, mais uma vez, um espaço de debate e reflexão do mundo rural de degustação e experiências gastronómicas bem como de animação musical, lazer e diversão.

XII Feira do Porco Alentejano: de 23 a 25 de Março de 2018 todos os caminhos convergem para Ourique.

Monda Integra Festival B

Monda participará no próximo dia 24 de Junho no FESTIVAL B, dedicado à celebração e promoção dos patrimónios imateriais da humanidade: O Cante, O Fado e a Gastronomia Mediterrânica.
O FESTIVAL B, realizar-se-à no Centro Histórico de Beja, unindo através de 4 palcos um roteiro que destaca também o património edificado da cidade.

Ao longo de 3 dias cerca de 40 listas/grupos criarão propositadamente para o FESTIVAL B, 25 espetáculos que unem o cante e o fado através de fusões entre si e com outros ritmos e sonoridades musicais.
Um dos aspectos inovadores do FESTIVAL B é a realização de residências artísticas e de concepção de espetáculos próprios criando novas dimensões de promoção e valorização do CANTE ALENTEJANO.

  1. Moreninha 2:56
  2. Vai de Centro ao Centro 3:03